QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

Muito comum entre os especialistas de Rh e Segurança e Saúde no Trabalho o discurso de que a Qualidade de Vida no Trabalho contribui de forma decisiva para a qualidade dos produtos e serviços ofertados por uma organização e, por consequência, o impacto positivo na Satisfação do Cliente. Embora tenham razão, infelizmente, pouquíssimas empresas no Brasil e mesmo em países desenvolvidos tomam estes temas como parte de suas estratégias de negócio; por outro lado, mesmo o pessoal do RH e SST tem pouca ou nenhuma noção do real significado da QVT e, talvez por isso, não consigam influenciar seus chefes sobre a verdadeira contribuição do esforço de se promover a QVT como elemento estratégico para o negócio. No Brasil, em particular, conta-se nos dedos as empresas que cumprem a legislação vigente sobre Saúde e Segurança no Trabalho e ai, fica difícil falar em QVT, quando nem o mínimo necessário, pré-requisito para se falar em QVT, é atendido.

Partindo do princípio que o ser humano é um complexo biopsicossocial, ou seja, tem potencialidades biológicas, psicológicas e sociais que são estimuladas e respondem ao mesmo tempo às condições do ambiente em várias combinações e intensidades nestes três níveis; o nível biológico refere-se às características físicas, incluindo metabolismo, resistências e vulnerabilidades dos órgãos e sistemas que compõe o corpo humano, o nível psicológico refere-se aos processos afetivos, emocionais e de raciocínio que formam a personalidade do indivíduo e sua forma de perceber e tomar posição diante das circunstâncias que lhe são apresentadas; por último, o nível social está relacionado aos valores e crenças de cada um de nós. Qualidade de Vida no Trabalho significa portanto, proporcionar ao empregado o bem-estar nestes 3 níveis, e não apenas se limitando ao conceito antigo da “ausência de doença”.

Sendo assim, quais os critérios para avaliar a qualidade de vida no trabalho?

Segundo o pesquisador americano Richard Walton, os critérios abaixo podem ser utilizados para avaliar um programa de QVT:

  1. Compensação justa e adequada
  2. Condições de trabalho
  3. Uso e desenvolvimento de capacidades pessoais
  4. Oportunidade de crescimento e segurança no emprego
  5. Integração social na organização
  6. Cidadania
  7. Trabalho e espaço total de vida
  8. Relevância social do trabalho

Um bom programa de Gestão de Qualidade de Vida no Trabalho deve utilizar estes critérios, desdobrados em indicadores e metas a serem atingidas.

 

 

 

Compartilhe com sua rede ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta